I n í c i o arrow Info. às Pessoas Portadoras de Deficiência arrow Deformidades dos Dedos Menores
28 de novembro de 2014
Menu Principal
I n í c i o
O · P r o f i s s i o n a l
I n f o r m a t i v o s · M é d i c o s
S e m i n á r i o s · M é d i c o s
Info. às Pessoas Portadoras de Deficiência
E S P E C I A L : B I O É T I C A
W e b · L i n k s
E n t r e · e m · C o n t a t o
B u s c a r · n o · S i t e
Login
Nome de Usuário

Senha

Lembrar login
Esqueceu sua senha?
Usuários Online
 Nós temos 24 visitantes online
Deformidades dos Dedos Menores Imprimir E-mail
Marcus Ziegler   
28 de dezembro de 2005
Seminário de Ortopedia e Traumatologia
Marcus Ziegler


  eformidades dos dedos menores

  • Um dos principais motivos de consulta;

  • Insidioso;

  • Mais em idade avançada;

  • Qualquer articulação;

  • Um ou mais artelhos.

Dedo em martelo

  • Flexão da IFD;

  • 5% das deformidades dos dedos menores;

  • Mais no 2º. E 3º. PD;

  • Rígido ou flexível;

  • Presença de deformidade em extensão ao nível da MTF em até 24% dos casos.

Etiologia

  • Calçados;

  • 84% mulheres;

  • Tamanho do artelho tem influência, 73% ocorre no dedo mais longo;

  • Desequilíbrio muscular.

Clínica

  • Dor na porção distal;

  • Dor na região dorsal;

  • Deformidade ungueal.

Imagem

  • Rx AP+P c/ apoio.

Tratamento

  • Conservador: calçados adequados, almofadas de feltro;

  • Cirúrgico: liberação do TFL, amputação tipo Syme terminal, artroplastia de ressecção da IFD, artrodese da IFD.

Complicações

  • Mais comum é a recidiva;

  • Na artrodese, pseudoartrose sintomática.

Dedo em garra

  • Deformidade em flexão plantar da IFP;

  • Rígida ou flexível;

  • Um ou mais dedos.

Etiologia

  • Calçados inadequados;

  • Idade avançada;

  • Doenças neurológicas (Charcot-Marie- Tooth, AR, artríte psoriática, neuropatia diabética);

  • Congênita;

  • Trauma ( menos frequente).

Clínica

  • Deformidade na IFP, IFD, MTF;

  • Verificar flexibilidade, calosidade, ulceração, hálux valgo;

  • Metatarsalgia é comum.

Imagem

  • Rx AP+P c/ apoio.

Tratamento

  • Conservador: depende da severidade da deformidade, calçado adequado, contensores, difícil quando comprometida a MTF;

  • Cirúrgico: alivia sintomas e inibe progressão, corrigir todas deformidades do pé, partes moles, nas rígidas correção óssea;

  • Complicação: recidiva, rigidez, desvios.

Segundo dedo supraduto

  • Desvio dorsomedial do artelho sobre o hálux;

  • Frequentemente associado ao hálux valgo;

Etiologia

  • Marcha enfraquece estruturas estabilizadoras por ser mais longo;

  • Calçados inadequados;

  • Patologias inflamatórias (AR).

Classificação- Coughlin

  • Estágio I- sinovite c/ deformidade leve;

  • II- desvio dorsomedial;

  • III- supraduto do hálux;

  • IV- luxação evidente da MTF.

Clínica

  • Sinovite da MTF;

  • Dor e aumento de volume;

  • Evolução se não tratada;

  • Hiperqueratose;

  • Diagnóstico diferencial c/ Morton;

  • Instabilidade da MTF.

Imagem

  • Rx AP+P c/ apoio.

Tratamento

  • Conservador: acomodar deformidade, mudar calçado, discos de feltro, palmilha;

  • Cirúrgico: correção das deformidades, correção do primeiro raio.

Quinto dedo supraduto

  • Sobreposição do quinto dedo ao quarto;

  • Igual em homens e mulheres;

  • Incidência familiar;

  • Maioria bilateral;

  • 45% associada a outras deformidades.

Clínica

  • 50% assintomáticos;

  • Dos sintomáticos, calosidade dolorosa.

Imagem

  • Rx AP+P c/ carga + oblíqua.

Tratamento

  • Conservador: mudança de calçado, bandagem;

  • Cirúrgico: por estética não é recomendada, partes moles, sindactilização, remoção da falange proximal;

  • Complicação: recidiva comum.

Joanete do 5º. raio

  • Proeminência do côndilo lateral da cabeça do 5º. MT;

  • Etiologia: divergência do 4º. e 5º. MT, aumento da curvatura da diáfise do 5º. MT, alargamento excessivo da cabeça do quinto.

Clínica

  • Dor na borda lateral;

  • Mais sintomático nas mulheres;

  • Hiperqueratose;

  • Imagem: Rx AP+P c/ apoio, ângulo IM até 8º , ângulo MT/5º. Até 16º.

Tratamento

  • Conservador: troca de calçado;

  • Cirúrgico: condilectomia lateral, osteotomia distal do 5º. PD, osteotomia diafisária;

  • Complicações: recidiva, instabilidade articular, problemas de consolidação.

Calosidade dorsal

  • Hiperqueratose;

  • Calo duro;

  • Mais na região dorsolateral do 5º. PD;

  • Etiologia: pressão externa, deformidades;

  • Clínica: dor, deformidade;

  • Imagem: Rx AP+P c/ apoio+ oblíqua.

Tratamento

  • Conservador: eliminar fator extrínseco, proteção;

  • Cirúrgico: condilectomia parcial, artoplastia de ressecção;

  • Complicações: recidiva, remoção insuficiente, remoção exagerada (artelho frouxo).

Calosidade interdigital

  • Calo mole;

  • Hiperqueratose entre 2 artelhos;

Etiologia

  • Pressão aumentada entre 2 superfícies duras;

  • Proeminências ósseas;

  • 12-15% dos pacientes com dor nos pés;

  • 4º. Espaço mais frequente;

  • 2x mais comum nas mulheres.

Clínica

  • Dor na região da hiperqueratose;

  • Diferenciar com infecção fúngica;

  • Neuropatia;

Infecção secundária;

  • Imagem: Rx AP+P c/ apoio + oblíqua.

Tratamento

  • Conservador: retirada do fator extrínseco, esponjas, discos, algodão;

  • Cirúrgico: condilectomia simples, dupla, artroplastia de ressecção IFP, falangectomia, sindactilização, amputação;

  • Complicações: recidiva, desvios, deformidades.


Observação    
Seminário usado para revisão dos residentes do HSL-PUCRS
Última Atualização ( 17 de abril de 2008 )
< Anterior   Próximo >
 
Desenvolvido por BLPilla